quinta-feira, 8 de abril de 2010

Então...

Teria eu muito a dizer
Mas não sai,
vem à boca,
falta coragem
Trava,
consome
Insone
Pior...
Já sabia
que assim seria

2 comentários:

  1. Depois de ver o seu recado de aniversário com um poema de Mário de Sá Carneiro acabei achando alguns poemas dele. Eu acho que dois trechos combinam bastante com o que vc escreveu:

    "A minha alma não se angustia apenas, a minha alma sangra.As dores morais transformam-se-me em verdadeiras dores físicas, em dores horríveis, que eu sinto materialmente - não no meu corpo, mas no meu espírito."

    "Sim, a minha pobre alma anda morta de sono, e não a deixam dormir - tem frio, e não sei aquecer! Endureceu-me toda!secou, ancilou-se-me; de forma que movê-la - isto é: pensar - me faz hoje sofrer terríveis dores. E quanto mais a alma me endurece, mais eu tenho ânsia de pensar! Um turbilhão de idéias - loucas idéias! - me silva a desconjuntá-la, a arrepanhá-la, a rasgá-la, num martírio alucinate! Até que um dia - óh!é fatal - ela se me partirá voará em estilhaços... A minha pobre alma! A minha pobre alma!..."

    ResponderExcluir

Diz aí o que fervilhou na sua mente